Introdução

A Associação de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente do Agrupamento de Concelhos do Vale do Douro-Sul, Portas Prá Vida, criada em 1991, é uma Instituição Particular de Solidariedade Social que conta já com um historial de respostas formativas a jovens/adultos com deficiências e incapacidades.

Desde 1999 que a Instituição realiza ações de formação profissional inicial e integra jovens com deficiências e incapacidades em diversas áreas de formação, nomeadamente, em Tecelagem, Olaria e Pintura; Serviços Sociais à Comunidade e Jardinagem e Silvicultura.

Continua a ser objetivo da instituição dar seguimento a esta resposta no sentido de dissolver os problemas de integração socioprofissional de pessoas com menos capacidades formativas, nomeadamente pessoas com deficiências e incapacidades.

Tendo em conta as dificuldades de inserção socioprofissional das pessoas com deficiências e incapacidades, a Instituição desenvolve atualmente ações de formação profissional inicial nas áreas de Serviços Sociais à Comunidade e Jardinagem e Silvicultura, no âmbito da Tipologia de Intervenção 6.2 – Qualificação das Pessoas com Deficiências e Incapacidades do Eixo 6 do Programa Operacional Potencial Humano, que reúnem um conjunto de instrumentos de política que visam criar condições de maior equidade social no acesso a direitos de participação cívica, à qualificação e educação e ao mercado de trabalho.

Certificação

A Associação Portas P’rà Vida encontra-se certificada como entidade formadora, pela DGERT – Direção-geral do Emprego e das Relações de Trabalho, no âmbito do disposto na Portaria n.º 851/2010, de 6 de Setembro, alterada e republicada pela Portaria n.º 208/2013, de 26 de Junho, nas seguintes áreas de educação e formação:

·  622 – Floricultura e jardinagem

·  623 – Silvicultura e caça

·  762 – Trabalho social e orientação

A certificação reconhece a capacidade técnica e pedagógica da entidade para executar formação nas áreas de educação e formação identificadas.

Objetivos

  • Promover a qualificação e a integração no mercado de trabalho das pessoas com deficiência e incapacidade;
  • Promover a igualdade de oportunidades através do combate às desvantagens competitivas no mercado de trabalho das pessoas com deficiências e incapacidades;
  • Promover uma cidadania ativa numa cultura que valorize a participação cívica.

·  Aumentar a empregabilidade das pessoas com deficiências e incapacidades, tendo em vista a sua integração em mercado de trabalho,

·  Desenvolver a autonomia pessoal, atitudes profissionais, de comunicação, de reforço da autoestima, da motivação, e de condições de empregabilidade e da aprendizagem e/ou reaprendizagem das condições necessárias à plena participação das pessoas com deficiências e incapacidade.

·  Dotar as pessoas com deficiências e incapacidades dos conhecimentos e competências necessárias que lhes permita desenvolver uma atividade profissional no mercado de trabalho, nomeadamente:

  • Prestar cuidados básicos de higiene, de conforto e de saúde, de acordo com as orientações da equipa técnica;
  • Executar tarefas de limpeza e arranjo dos espaços, dos equipamentos e da roupa;
  • Executar tarefas relativas ao serviço de refeições na sua preparação, confecção e serviço direto, de acordo com as orientações da equipa técnica;
  • Prestar serviços de recessão e acolhimento sob orientação de um técnico responsável.

Destinatários

Pessoas com deficiências e incapacidades que reúnam as seguintes condições:

·  Idade mínima legal para prestar trabalho e que pretendam ingressar ou reingressar no mercado de trabalho.

·  Não possuir uma habilitação compatível com o exercício de uma profissão ou ocupação de um posto de trabalho.

·  Cumprir os requisitos da escolaridade obrigatória.

Componentes de formação

A formação concretiza-se através da frequência de um percurso formativo organizado com base no referencial de formação proposto pela Associação (entidade formadora), individualizado e orientado para as pessoas com alterações das funções mentais, multideficiências e outras condições para aceder a percursos regulares de educação formação, com uma duração entre as 1200 h e as 2900 h, e devidamente analisado e aprovado pela Delegação Regional do Norte do Instituto do Emprego e Formação Profissional que integra as seguintes componentes de formação:

Floricultura e Jardinagem

Serviços Sociais à Comunidade

Accessibility
pt_PTPortuguês